quarta-feira, 29 de junho de 2011

Poema 1

Barroco


Leves, as luvas,

vestem como plumas

os dedos de uma catedral marrom

isolamento

isolamento, assim o dizem

enche teu coração com uma lufada do metal precioso

a cor

o caos

o sentimento inevitável de abandono

viva-me dentro da tua aurora

e me liberte

sozinho

não obstante

sozinho

exceto por um pequeno quarto cheio de livros

estátuas de preservação

do quê?

Nenhum comentário:

Postar um comentário