segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Poema 10


Ópio.

O eco eu quero que reverbere nas suas ancas

Ressoe por suas pernas

dissonâncias.

Tem partes do corpo que doem

fisicamente mesmo, mas simplesmente,

mesmo que desesperadamente,

só sossegam com o acalmar do coração.

O meu ópio é aquilo que quero ver no teu corpo

A transmutação transtornada de nós dois

transfiguração tresloucada

trespassada te vejo

sem dor.




Imagem: Damien Hirsch - Opium Painting

Nenhum comentário:

Postar um comentário